Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > 1º BAC
Início do conteúdo da página

Sobre o BAC

Publicado: Terça, 01 de Setembro de 2015, 09h05 | Última atualização em Terça, 27 de Outubro de 2015, 20h13 | Acessos: 30961

O 1º Batalhão de Ações de Comandos (1° BAC) é uma unidade especialmente organizada, equipada e adestrada para o planejamento, condução e execução de ações Diretas. Possui mobilidade tática e estratégica, de acordo com os meios de transporte postos à sua disposição.

     É uma tropa altamente qualificada a operar sob circunstâncias e ambientes impróprios ou contra-indicados para  o  emprego de elementos de  forças convencionais,  sendoapta a cumprir variadas missões estratégicas e tidas como operacionalmente críticas. Para isso, integra a Força de Atuação Estratégica do Exército Brasileiro.
 
     O Batalhão, criado em 2002, está localizado na cidade de Goiânia-GO, e é subordinado ao Comando de Operações Especiais.

 

O que são Ações de Comandos
 
     Ações de Comandos, também conhecida como Ação Direta no ambito das Operações Especiais, são normalmente agressivas, realizadas por meio de tropa qualificada, de valor e constituição variáveis, através de uma infiltração por terra, mar ou ar, contra alvos de valor significativo, localizados em áreas hostis ou sob controle do inimigo.
 
 
Missão
 
    O 1° BAC tem como missão realizar ações de captura, resgate, eliminação e interdição de alvos compensadores do ponto de vista estratégico, operacional ou tático, situados em área hostil ou sob o controle do inimigo, em tempo de crise ou conflito armado, visando contribuir com a consecução de objetivos políticos, econômicos, psicossociais ou militares. Para cumprir tais missões, o Batalhão é organizado de forma a ter garantidas as seguintes possibilidades:
 
- realizar infiltrações e exfiltrações terrestres, aéreas e aquáticas;
- atuar em qualquer ambiente operacional, particularmente em regiões semi-áridas, de montanha, de pântano e de selva;
- conduzir fogo terrestre, aéreo e naval;
- participar, em conjunto com outras Forças Especiais;
- realizar operações irregulares;
- realizar operações de reconhecimento especial, principalmente em proveito próprio;
- assessorar outras forças quanto ao emprego dos elementos operacionais de comandos, bem como quanto a técnicas, táticas e procedimentos peculiares a essa tropa.
Fim do conteúdo da página